Qual o multímetro ideal para eletricistas?

Divulgue esse Artigo

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp

Você já pensou qual o multímetro ideal para eletricistas?

Eletricistas que precisam fazer medições de tensão, corrente elétrica, resistência, capacitância e teste de transistores no dia a dia sabem que o multímetro é um instrumento essencial e que precisa estar sempre à mão. Mas qual deles? Analógico ou digital? Qual o melhor multímetro para eletricistas. Saiba que essas dúvidas são mais comuns do que você imagina. Por isso, resolvemos falar um pouco sobre essa importante ferramenta e dar dicas que podem ajudar a escolher a melhor para seu uso.

O que faz um multímetro?

Antes de mais nada é preciso entender o que faz o multímetro. Sua função é medir as diferentes grandezas de corrente em correntes elétricas. A medição é feita a partir de terminais positivos e negativos nos quais há hastes metálicas que, por sua vez, são conectadas nos polos dos equipamentos que serão aferidos. Neste caso, podem ser tomadas, transistores, diodos, fusíveis, ou baterias, por exemplo.

A função das ponteiras é captar a grandeza apontada pela chave seletora do multímetro. No aparelho, o campo magnético reage com o campo magnético do equipamento e, assim, determina a grandeza em um mostrador que pode ser analógico ou digital.

Qual o melhor multímetro para um eletricista?

Para responder a essa questão você precisa primeiro saber qual vai ser a utilização mais frequente do aparelho. Assim, vai saber qual categoria se enquadra melhor e qual será a melhor aquisição. Isso requer basicamente uma análise do trabalho a ser realizado, seja ele de forma profissional ou ainda como um hobby.

Um multímetro básico vai apontar a tensão, corrente e resistência. Mas há também os mais sofisticados, capazes por exemplo de medir a tensão sem a necessidade de contato com o equipamento, o que torna o trabalho mais rápido e não prejudica em nada a precisão.

A precisão é um elemento importante na hora da escolha

Também é necessário questionar qual a precisão que o profissional precisa que o equipamento lhe dê. Um eletricista predial e instalador, para se ter um parâmetro, precisa de um multímetro que faça as medições, mas não requer que a precisão delas seja tão apurada. Assim, um modelo básico atenderia a sua necessidade.

Já para os eletricistas cuja atividade está diretamente relacionada à eletrônica, com atuação direta com microprocessadores e nano eletrônicos, a precisão é essencial porque eles trabalham diretamente com cálculos. Nestes casos, a opção correta é por um equipamento dos mais completos, capaz de oferecer mais recursos.

Defina entre digital ou analógico

Multímetros analógicos foram os pioneiros no mercado em formatos portáteis. Seu tempo de resposta é rápido e com precisão. Apesar disso, são menos práticos. Basicamente, a sua estrutura é formada por um imã que tem um campo magnético e fica posicionado abaixo da chave seletora.

Quando as hastes tocam a superfície do equipamento que terá a corrente medida, elas enviam uma corrente para a bobina. Essa, por sua vez, reage com o campo eletromagnético do ímã e aciona o ponteiro do mostrador. O modelo analógico é tido como mais útil para os casos em que há variações de tensão.

A precisão do modelo digital

Já os multímetros digitais têm a leitura codificada por um sistema digital e, em vez de registrar a corrente em um ponteiro, transforma os dados em números, que são enviados a uma tela na qual o resultado é mostrado com precisão. Além disso, possuem comandos extras que podem ser úteis.

As funções variam de acordo com o modelo do aparelho. Fato é que como se trata de plataformas digitais, a inovação sempre chega mais rápido, sem contar que há um vasto espaço a ser explorado. Mas dá para adiantar que os modelos digitais funcionam melhor quando se trata de grandezas fixas.

Alguns profissionais decidem ter os dois

A verdade é que os dois modelos são úteis. Tanto que não é incomum encontrar profissionais que possuam os dois e utilizam cada um de acordo com o serviço a ser realizado. Outros fatores que precisam ser levados em consideração são segurança e investimento.

A segurança é imprescindível. Então, sempre que for adquirir um produto desses opte por estudar a respeito do fabricante e opte por uma marca de confiança. Isso vale para o revendedor. A escolha por uma empresa com experiência de mercado faz toda a diferença.

Defina se o investimento será profissional ou para hobby

Já no quesito investimento, é importante saber se o uso do multímetro será diário ou apenas como hobby e, a partir daí, estipular quanto se pretende investir no equipamento. O fato é que há opções variadas no mercado e uma delas certamente vai atender a sua necessidade.

E aí, gostou das dicas? Será que você já consegue definir qual o tipo de multímetro que vai atender melhor a sua necessidade? Se ainda tem dúvidas, uma última dica pode ser passar em uma de nossas lojas e conversar com um de nossos consultores. A gente quer ajudar você a fazer a melhor escolha.

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp